Saúde de crianças pretas e indígenas

Você sabia que as crianças indígenas têm 14 vezes mais chance de morrer por diarreia? E que o risco em crianças pretas é 72% maior do que se comparado com crianças nascidas de mães brancas? Esses dados preocupantes foram divulgados por um estudo liderado pelo Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (Cidacs) e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) da Bahia. Para falar sobre esses números e discutir como está a saúde dessa população, o Saúde com Ciência aborda a desigualdade no acesso à saúde, às condições básicas de saneamento e as consequências desses fatores para a vida das crianças.

Entrevistada:

Ana Cristina Simões – professora do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG.

Dores e problemas de coluna

As dores e problemas de coluna afetam milhares de pessoas todos os dias, causando indisposição, desconforto e até baixo rendimento no trabalho ou estudo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 80% da população mundial têm ou já tiveram algum tipo de dor nas costas. Por isso, o Saúde com Ciência desta semana vai abordar questões relacionadas a esses problemas, como a má postura, sedentarismo e o desgaste natural da coluna.

Entrevistado:

Aluízio Arantes  médico cirurgião e professor do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da UFMG.

Dor de cabeça

A cefaleia, popularmente conhecida como dor de cabeça, afeta cerca de 140 milhões de brasileiros e é a sétima doença mais incapacitante do mundo, segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia. O problema pode ter várias causas, desde as mais comuns e cotidianas até as mais graves. Para tirar as dúvidas sobre o tema, o Saúde com Ciência desta semana conversa com uma especialista para explicar os tipos, as causas relacionadas e quais gatilhos podem desencadear a dor.

Entrevistada: Ana Paula Gonçalves – neurologista e neurofisiologista clínica do Hospital das Clínicas da UFMG.

Meningite: características e aumento de casos

A meningite é uma doença séria, que pode ser facilmente confundida com uma gripe comum. Por isso, é muito importante que haja conhecimento sobre seus principais riscos e características. Segundo o Ministério da Saúde, a meningite possui caráter endêmico no Brasil, isto é, os surtos podem vir ao longo de todo o ano, caso a cobertura vacinal tenha baixa adesão. Dessa forma, o Saúde com Ciência desta semana vai abordar a doença, seus sintomas, características, medidas de prevenção e aumento de casos no país.

Entrevistada: Valéria de Melo Rodrigues – pediatra e professora do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG.

TDAH: como identificar o transtorno em crianças e adultos?

O transtorno do déficit de atenção com hiperatividade, mais conhecido como TDAH, acomete cerca de 3% da população mundial, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). Entre os sintomas mais comuns do transtorno estão a falta de atenção, a impulsividade e a hiperatividade. E ao contrário do que se pensa, o TDAH não afeta apenas crianças. Adultos e idosos também podem ter impactos ao longo da vida devido ao transtorno. Para entender mais sobre o assunto, o Saúde com Ciência conversa com um especialista para conhecer as formas de tratamento e saber como diagnosticar o transtorno tanto em crianças, quanto em adultos. 

Entrevistado: Antônio Alvim – psiquiatra e professor do Departamento de Saúde Mental da Faculdade de Medicina da UFMG.

Outubro Rosa: câncer de mama, diagnóstico e cuidados

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), de 2020 a 2022, estima-se que sejam diagnosticados quase 200 mil novos casos de câncer de mama. E é por dados como este que surge a necessidade de discussões e esclarecimentos sobre a doença, não só no Outubro Rosa, mas durante todo o ano. Por isso, neste Saúde com Ciência, o câncer de mama, diagnósticos e cuidados da doença são o tema da semana.

Entrevistado: Clécio Ênio Murta de Lucena – professor do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da UFMG.

Cuidados Paliativos: assistência e qualidade de vida

Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde, estima-se que, a cada ano, mais de 56,8 milhões de pessoas necessitem de cuidados paliativos, incluindo 25,7 milhões no último ano de vida. Por existirem diversos mitos sobre o tema, muitas pessoas ainda têm certa desconfiança a respeito do assunto. Por isso, o Saúde com Ciência desta semana vai explicar e mostrar a importância dos cuidados paliativos para melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Entrevistado:

Marco Túlio Cintra – geriatra e professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG.

Áreas verdes: benefícios para a saúde cardiometabólica

As áreas verdes em espaços urbanos trazem diversos impactos positivos para a nossa saúde, com destaque para a melhora da qualidade do ar. Mas, além disso, uma tese defendida no Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública da Faculdade de Medicina da UFMG apontou ainda a relação de áreas verdes com a obesidade. Segundo o estudo, moradores de Belo Horizonte que vivem em áreas verdes possuem 36% menos chances de apresentar obesidade. Por isso, o podcast Saúde com Ciência conversa com a autora do estudo para entender quais os benefícios desses locais para a saúde. 

Entrevistada:  Luciene Almeida – pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública da Faculdade de Medicina da UFMG e autora do estudo. 

Saúde do Idoso

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem quase 30 milhões de idosos, representando cerca de 15% da população nacional. O cuidado com o idoso é muito importante e necessário para que a sociedade brasileira se constitua de forma harmônica. Por isso, o Saúde com Ciência desta semana aborda a saúde do idoso e os tópicos que permeiam a temática, como hábitos saudáveis, importância de acompanhamento médico e estigmas.

Entrevistados:

Rodrigo Ribeiro – geriatra e professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG.
Thais Machado – professora do Departamento de Fonoaudiologia da Faculdade de Medicina da UFMG.
Reinaldo Braga – capelão, 73 anos.

Transtornos alimentares: cuidados e acolhimento

Os transtornos alimentares afetam 70 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo o site Agência Brasil, e são caracterizados por alterações persistentes na alimentação ou no comportamento ao se alimentar. Entre os diversos tipos, os mais comuns são a anorexia, a bulimia e a compulsão alimentar. Para falar sobre esses transtornos, os fatores que estão relacionados a eles e as formas de tratamento, o Saúde com Ciência desta semana conversa com uma especialista para explicar o tema.

Entrevistada: Ana Maria Lopes – professora do Departamento Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG e coordenadora do Núcleo de Investigação de Anorexia e Bulimia do Hospital das Clínicas da UFMG (NIAB).