Qualidade de vida de pacientes oncológicos

Câncer é o nome comum para mais de 100 doenças que se caracterizam pelo crescimento desordenado de células pelo corpo. Essa doença pode aparecer de diferentes formas e o tratamento tem a tendência de ser melhor sucedido se o diagnóstico for precoce.

No Saúde com Ciência desta semana, vamos falar sobre os tipos de câncer, tratamentos e formas de melhorar a qualidade de vida de pacientes oncológicos.

Convidado:

Paulo Henrique Costa Diniz – professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG

Mortes maternas por hemorragia

Você sabia que a hipertensão, a hemorragia e síndromes infecciosas são as principais causas de óbitos de gestantes no Brasil? O acompanhamento pré-natal e de puerpério realizados por profissionais de saúde, oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), têm levado à diminuição no número de vítimas por essas complicações.

A Estratégia Zero Morte Materna Por Hemorragia, até o ano passado, já havia capacitado mais de 1700 profissionais da Atenção Primária, com o objetivo de reduzir os óbitos de gestantes por hemorragias durante o parto. O Saúde com Ciência desta semana irá discutir as principais causas de hemorragia em gestantes e a Esratégia Zero Morte Materna Por Hemorragia.

Convidado: Gabriel Costa Osanan – professor do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da UFMG

Hesitação vacinal e desinformação

O Programa Nacional de Vacinação foi criado pelo Ministério da Saúde em 1973 com a intenção de coordenar as ações de vacinação que, até então, eram marcadas por uma área de cobertura reduzida. No ano em que o PNI completa 50 anos, o Saúde com Ciência irá falar sobre uma pesquisa que abordou a cobertura vacinal do Brasil.

Convidada: Alice Werneck Massote – pesquisadora do Núcleo de Educação em Saúde Coletiva (Nescon) da Fauldade de Medicina da UFMG

Boa saúde pulmonar

Você cuida bem dos seus pulmões? Uma alimentação saudável, a prática de atividades físicas e o não-tabagismo são algumas das recomendações mais frequentes para manter uma boa saúde respiratória.

O Saúde com Ciência desta semana irá abordar diferentes aspectos de uma boa saúde pulmonar. Além das recomendações, iremos conversar sobre a saúde respiratória na infância, os efeitos das ondas de calor e da baixa umidade, e também sobre as doenças respiratórias graves e os transplantes de pulmão.

Convidada:

Valéria Maria Augusto – professora do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG

Telas e saúde mental

Smartphones, tablets e computadores fazem parte do nosso dia a dia. Com o aumento do uso de telas como essas pela população e o acesso facilitado à internet, pesquisas têm sido realizadas para analisar os impactos desse uso prolongado sobre a capacidade cognitiva e na sociabilidade dos usuários.

No Saúde com Ciência desta semana, iremos conversar sobre uma dessas pesquisas, que aborda o efeito do uso de telas na saúde mental ao longo de diferentes fases da vida.

Convidada: Renata Maria Silva Santos – pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da UFMG

Saúde dos professores brasileiros

Estresse, dores musculoesqueléticas, síndrome de Burnout e depressão. Essas são algumas das queixas mais frequentes entre os professores brasileiros. É o que aponta uma pesquisa da Faculdade de Medicina da UFMG que analisou a saúde de professores brasileiros e portugueses.

No Saúde com Ciência desta semana, iremos conversar sobre a pesquisa, para entender como e por que os educadores têm adoecido, as reclamações mais frequentes ligadas ao ensino, além de discutir formas de reverter condições de trabalho para proporcionar uma melhoria na saúde dos professores do país.

Convidada:

Nayara Ribeiro Gomes – pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Fonoaudiológicas da Faculdade de Medicina da UFMG

Enxaqueca

A enxaqueca é um distúrbio que tem como principal característica as fortes dores de cabeça. O quadro pode ser episódico ou crônico, classificado com base na frequência das dores ao longo dos meses.

No programa Saúde com Ciência desta semana, abordamos os dois tipos de enxaqueca, além de diagnóstico, tratamento, e sua maior prevalência no sexo feminino.

Convidado:

Paulo Pereira Christo – professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG

Incontinência urinária feminina

A incontinência urinária é a perda involuntária de urina pela uretra.  O distúrbio pode causar diversos constrangimentos sociais às pessoas que sofrem com esse problema. No caso das mulheres, pode ser causado por fissuras no canal urinário, que geralmente são causadas como resultado de infecções, constipação intestinal ou até mesmo partos anteriores.

No programa Saúde com Ciência desta semana, vamos conversar sobre diagnóstico, tratamentos e como esse distúrbio afeta a vida das mulheres com essa condição.

Convidado: Agnaldo Lopes da Silva Filho – professor do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da UFMG.

Anemia falciforme

A anemia falciforme é uma doença genética e hereditária que afeta os glóbulos vermelhos e causa aos pacientes dor intensa e necessidade de acompanhamento médico. A condição afeta pessoas negras com mais frequência e pode ser detectada em recém-nascidos através do teste do pezinho.

No programa Saúde com Ciência desta semana, vamos conversar sobre diagnóstico, tratamentos e como a questão racial afeta a incidência da doença.

Convidado: José Nélio Januário – professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG

Febre amarela e tratamentos alternativos

A febre amarela é uma arbovirose grave. Entre os anos de 2016 e 2017, o Brasil observou o maior surto da doença nos últimos cinquenta anos. Foram mais de 770 casos confirmados da doença, com 261 deles levando a óbito.

Apesar de não termos casos registrados em zonas urbanas do país desde a década de 40, a doença ainda é uma grande preocupação das zonas rurais e florestais pelo Brasil.

No programa Saúde com Ciência desta semana, iremos conversar sobre a febre amarela, sua cobertura vacinal e tratamentos alternativos. Além disso, iremos falar a respeito da pesquisa que avaliou a eficácia desses tratamentos em pacientes de casos graves de febre amarela.

Convidada: Carolina Lins Vieira – pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Aplicadas à Cirurgia e à Oftalmologia da Faculdade de Medicina da UFMG